top of page
Search
  • Writer's pictureDenis Kalyshkin

Startup pitch decks: Avoiding common errors and uncovering misconceptions


Any VC should write an article offering their advice on creating a pitch deck. I am sure you can easily find numerous best practices on your own. Today, I would like to address some misconceptions and myths that founders often have about pitch decks. My hope is that, in five years, founders will send investors interactive Y Combinator-like application forms or white papers instead of traditional pitch decks. This approach is more logical, easier to process with ChatGPT, and allows for seamless integration with CRM tools. However, since you need to raise funds now, it would be valuable for you to understand what investors expect from you now and how to avoid common mistakes.


Now, let's explore some typical misconceptions and errors:


1. Many founders lack a full understanding of how a venture capital firm works. They often focus solely on their unique product or invention and neglect important aspects such as business models, pricing, and go-to-market strategy. The primary objective of a pitch deck should be to explain why investing in your company today yields a high return for investors.


2. Many founders believe that putting together a pitch deck is a complex task that requires hiring a professional. While I understand this perspective, there are actually many recommendations and examples available on the internet (such as Canvas, Docsend, Uber, and DropBox) that can guide them. Additionally, founders often have a better understanding of their business and can create a more effective pitch deck themselves. Of course, it is important to seek feedback from others and make adjustments before and after meeting with VCs.


3. Some founders believe that a good pitch deck is the key to successful fundraising. In reality, the presentation is just a marketing tool, a brochure for selling shares in your business. If the business itself is not solid, a great presentation will be ineffective. However, even if the business is strong, failing to pitch it well can hinder your ability to raise funds. It is crucial to prioritize building and improving the business rather than solely focusing on creating impressive slides.


4. Some founders tend to send VCs long presentations with 20-30-40 slides in an attempt to provide comprehensive information and answer all potential questions. However, statistics from DocSend show that investors typically spend less than 4 minutes reading a presentation. It is impossible for anyone to thoroughly review 40 slides in such a short amount of time. The main objective of a pitch deck should be to secure a personal meeting and support the conversation during that meeting. I advise creating a shorter presentation of 10-15-19 slides using common templates.


5. Some founders combine a pitch deck and a sales deck with a large number of product slides in one document. It is best to create two separate documents because they serve different purposes and target different audiences.


6. Many founders often focus excessively on the product and technical features of their solution. However, investors are more interested in understanding the overall business and the returns they can expect from investing in the company. Maintain a balanced presentation that covers both product and business aspects.


7. Some founders tend to reinvent the wheel when creating pitch decks. In reality, there are standard slides that investors look for in a presentation to gather essential information about the business. Utilize established pitch deck templates like Sequoia or Airbnb to ensure the necessary slides are included. A good presentation typically consists of 10-15-20 slides.


8. There are two types of pitch decks: those used for public speaking events and those sent to VCs via email. For public speaking, focus on visual slides with minimal text, as you will personally elaborate on the company during the presentation. However, when sending a deck by email, include more text on the slides to effectively convey the message to the reader.


9. Some founders believe that they can create a pitch deck once and forget about it. In reality, after each conversation with an investor, gather feedback and make necessary edits to improve the slides and better explain the startup. Additionally, depending on the specific investor's background and investment strategy, there may be a need to customize the presentation to highlight relevant points. However, this is considered an advanced level of pitching.


10. Many founders use industry-specific terms, abbreviations, and technical jargon in their slides. Some even argue that they do not want a VC on their cap table who cannot understand these terms. While you may be familiar with these terms due to constant involvement in the sector, keep in mind that the investor may be hearing them for the first time. Aim to use simple, easily understandable language in the pitch deck that can be comprehended by anyone.


11. Oftentimes founders fail to address the question, "Why is now the right time for your business?" What has changed in the market or technology since they first considered starting their venture two years ago? This is a crucial question to consider as it helps them better understand the driving factors behind their growth and assess the viability of their financial projections.


12. Some founders estimate the market size from a top-down perspective or rely on inflated numbers from public reports. They often arrive at a Total Addressable Market (TAM) value in the hundreds of billions or even trillions of dollars. However, this approach does not help investors assess how real are the revenue forecasts of a startup as it tends to overestimate the market size. Calculating the market from a bottom-up approach is better, which may yield a lower number but it is a more professional and accurate assessment. Keep in mind that your startup needs to have a $1 billion market.


13. Some founders have an unrealistic overview of their competitive landscape. If their pitch deck claims that their product has no alternatives and is the only one of its kind in the world, either they are unaware of existing competitors or deliberately hide them. On average, every startup has around 10 competitors, even if they are not direct rivals but alternative solutions serving the same purpose. There are various ways to make a competitor analysis slide in a pitch, but I advise using a comparative table that showcases 3-5 key business and technical aspects of their main competitors and market alternatives.


14. Some founders don’t include a slide that outlines the amount of investment they plan to raise and how they plan to spend the upcoming round. Others make the mistake of adding their valuation to the slide. Remember, fundraising is a B2B sale and you’d better discuss the terms during the meeting.


15. Occasionally, founders use overly large files (more than 10 MB), so they need to use file-sharing services. I’d advise to send pitch decks in PDF format or provide links to services such as Docsend or Brieflink (a free service from NFX). These platforms also offer the benefit of tracking statistics on how VCs engage with your pitch deck.


16. Lastly, it is important to have visually appealing slides, but there is no need to go overboard with design. Avoid spending too much on that.


I hope this article helps you prepare for fundraising. Good luck with your business!


 

Pitch decks de startups: evitando errores comunes y deshaciendo malentendidos.

Cualquier VC debería escribir un artículo ofreciendo sus consejos para crear una presentación de startups. Estoy seguro de que puedes encontrar fácilmente numerosas mejores prácticas por ti mismo. Hoy, me gustaría abordar algunos malentendidos y mitos que los fundadores suelen tener sobrelas presentaciones de startups. Espero que, dentro de cinco años, los fundadores envíen a los inversores formularios interactivos similares a los de Y Combinator o documentos técnicos en lugar de las presentaciones tradicionales. Este enfoque es más lógico, más fácil de procesar con ChatGPT y permite una integración perfecta con las herramientas de la gestión de relaciones con los clientes (CRM). Sin embargo, dado que necesitas recaudar fondos ahora, sería valioso que comprendas lo que los inversores esperan de ti en este momento y cómo evitar errores comunes.

Ahora, exploremos algunos malentendidos y errores típicos:

1. Muchos fundadores carecen de una comprensión completa de cómo funciona una firma VC. A menudo se centranúnicamente en su producto o invención única y descuidan aspectos importantes como modelos de negocio, pricing y estrategia de comercialización. El objetivo principal de una presentación debería ser explicar por qué invertir en su empresa hoy en día genera un alto rendimiento para los inversores.

2. Muchos fundadores creen que armar una presentación es una tarea compleja que requiere contratar a un profesional. Aunque comprendo esta perspectiva, en realidad hay muchas recomendaciones y ejemplos disponibles en internet (como Canvas, Docsend, Uber, y DropBox) que pueden guiarlos. Además, los fundadores a menudo tienen una mejor comprensión de su negocio y pueden crear una presentación más efectiva ellos mismos. Por supuesto, es importante buscar comentarios de otras personas y hacer ajustes antes y después de reunirse con los inversionistas.

3. Algunos fundadores creen que una buena presentación es la clave para una exitosa recaudación de fondos. En realidad, la presentación es solo una herramienta de marketing, un folleto para vender acciones de su negocio. Si el negocio mismo no es sólido, una gran presentación será ineficaz. Sin embargo, aunque el negocio sea sólido, no presentarlo bien puede dificultar su capacidad para recaudar fondos. Es crucial priorizar la construcción y mejora del negocio en lugar de enfocarse únicamente en crear diapositivas impresionantes.

4. Algunos fundadores tienden a enviar presentaciones largas a los inversionistas con 20-30-40 diapositivas en un intento de proporcionar información completa y responder todas las posibles preguntas. Sin embargo, las estadísticas de Docsendmuestran que los inversores suelen pasar menos de 4 minutos leyendo una presentación. Es imposible que alguien revise minuciosamente 40 diapositivas en tan poco tiempo. El objetivo principal de una presentación debería ser asegurar una reunión personal y respaldar la conversación durante esa reunión. Recomiendo crear una presentación más corta de 10-15-20 diapositivas.

5. Algunos fundadores combinan una presentación y una propuesta de ventas con muchas diapositivas de producto en un solo documento. Es mejor crear dos documentos separados porque tienen diferentes propósitos y apuntan a diferentes audiencias.

6. Muchos fundadores a menudo se enfocan excesivamente en el producto y las características técnicas de su solución. Sin embargo, a los inversores les interesa más entender el negocio en general y los rendimientos que pueden esperar al invertir en la empresa. Mantenga una presentación equilibrada que abarque tanto los aspectos del producto como los del negocio.

7. Algunos fundadores tienden a reinventar la rueda al crear presentaciones de venta. En realidad, existen diapositivas estándar que los inversores buscan en una presentación para recopilar información esencial sobre el negocio. Utilice plantillas establecidas de presentaciones de venta como Sequoia o Airbnb para asegurarse de que se incluyan las diapositivas necesarias. Una buena presentación típicamente consiste en 10-15-20 diapositivas.

8. Hay dos tipos de presentaciones de venta: aquellas utilizadas para eventos de habla pública y aquellas enviadas a VCs por correo electrónico. Para eventos de habla pública, concéntrese en diapositivas visuales con texto mínimo, ya que personalmente comentará sobre la empresa durante la presentación. Sin embargo, al enviar una presentación por correo electrónico, incluya más texto en las diapositivas para transmitir eficazmente el mensaje al lector.

9. Algunos fundadores creen que pueden crear una presentación de venta una vez y olvidarse de ella. En realidad, después de cada conversación con un inversor, recopile comentarios y realice ediciones necesarias para mejorar las diapositivas y explicar mejor la startup. Además, dependiendo del fondo y la estrategia de inversión del inversor específico, puede ser necesario personalizar la presentación para resaltar puntos relevantes. Sin embargo, esto se considera un nivel avanzado de presentación.

10. Muchos fundadores utilizan términos específicos de la industria, abreviaturas y jerga técnica en sus diapositivas. Incluso algunos argumentan que no quieren a un VC en su tabla de capitalización que no pueda entender estos términos. Si bien es posible que esté familiarizado con estos términos debido a la constante participación en el sector, tenga en cuenta que el inversor puede estar escuchándolos por primera vez. Procure utilizar un lenguaje simple y fácilmente comprensible en la presentación de venta que pueda ser comprendido por cualquier persona.

11. A menudo los fundadores no abordan la pregunta: "¿Por qué es ahora el momento adecuado para su negocio?" ¿Qué ha cambiado en el mercado o la tecnología desde que consideraron por primera vez iniciar su empresa hace dos años? Esta es una pregunta crucial para considerar, ya que les ayuda a comprender mejor los factores impulsadores detrás de su crecimiento y evaluar la viabilidad de sus proyecciones financieras.

12. Algunos fundadores estiman el tamaño del mercado desde una perspectiva de arriba hacia abajo o se basan en números inflados de informes públicos. A menudo llegan a un valor de Mercado Total (Total Addressable Market) en cientos de miles de millones o incluso billones de dólares. Sin embargo, este enfoque no ayuda a los inversores a evaluar cuán reales son las previsiones de ingresos de una startup, ya que tiende a sobrestimar el tamaño del mercado. Calcular el mercado desde un enfoque de abajo hacia arriba es mejor, lo que puede dar como resultado un número más bajo pero es una evaluación más profesional y precisa. Ten en cuenta que tu startup necesita tener un mercado de $1 billón.

13. Algunos fundadores tienen una visión poco realista de su panorama competitivo. Si su presentación afirma que su producto no tiene alternativas y es el único de su tipo en el mundo, o bien desconocen a los competidores existentes o los ocultan deliberadamente. En promedio, cada startup tiene alrededor de 10 competidores, incluso si no son rivales directos, sino soluciones alternativas que sirven al mismo propósito. Hay diversas formas de hacer una diapositiva de análisis de competidores en una presentación, pero te aconsejo usar una tabla comparativa que muestre 3-5 aspectos comerciales y técnicos clave de tus principales competidores y alternativas del mercado.

14. Algunos fundadores no incluyen una diapositiva que describa la cantidad de inversión que planean recaudar y cómo planean gastarla en la próxima ronda de financiación. Otros cometen el error de agregar su valoración a la diapositiva. Recuerda, la recaudación de fondos es una venta B2B y es mejor discutir los términos durante la reunión.

15. Ocasionalmente, los fundadores utilizan archivos demasiado grandes (más de 10 MB), por lo que necesitan utilizar servicios de intercambio de archivos. Te recomendaría enviar las presentaciones en formato PDF o proporcionar enlaces a servicios como Docsend o Brieflink (un servicio gratuito de NFX). Estas plataformas también ofrecen la ventaja de realizar un seguimiento de las estadísticas sobre cómo interactúan los inversores con tu presentación.

16. Por último, es importante tener diapositivas visualmente atractivas, pero no es necesario exagerar con el diseño. Evita gastar demasiado en eso.

Espero que este artículo te ayude a prepararte para la recaudación de fondos. ¡Buena suerte con tu negocio!



 

Apresentações de startups: evitando erros comuns e explicando mal-entendidos.

Qualquer investidor de capital de risco deveria escrever umartigo oferecendo seus conselhos sobre a criação de umaapresentação de startups. Tenho certeza de que você pode facilmente encontrar muitas melhores práticas por conta própria. Hoje, gostaria de abordar alguns equívocos e mitos que fundadores sempre têm sobre apresentações de startups. Minha esperança é que, em cinco anos, fundadores enviemaos investidores formulários interativos semelhantes aos da Y Combinator ou white papers, em vez de apresentaçõestradicionais. Esse abordagem é mais lógica, mais fácil de processar com o ChatGPT e permite uma integração perfeitacom ferramentas de CRM. No entanto, como você precisa captar recursos agora, seria valioso para você entender o que os investidores esperam de você atualmente e como evitar erros comuns.

Agora, vamos explorar alguns equívocos e erros típicos:

1. Muitos fundadores têm uma compreensão limitada de comofunciona uma empresa de capital de risco. Eles frequentemente se concentram exclusivamente em seuproduto ou invenção única e esquecem aspectos importantes como modelos de negócio, preço e estratégia de entrada no mercado. O objetivo principal de um pitch deve ser explicar por que investir em sua empresa hoje gera um alto retorno para os investidores.

2. Muitos fundadores acreditam que montar um pitch é umatarefa complexa que precisa de um profissional. Entendo essaperspectiva. De fato, há muitas recomendações e exemplosdisponíveis na internet (como Canvas, Docsend, Uber, e DropBox) que podem orientá-los. Além disso, os fundadores frequentemente têm um melhor entendimento de seusnegócios e podem criar um pitch mais efetivo. Claro, éimportante buscar feedback de outras pessoas e fazer ajustes antes e depois das reuniões com os investidores.

3. Alguns fundadores acreditam que um bom pitch é a chave para uma captação de recursos bem-sucedida. Na realidade, a apresentação é apenas uma ferramenta de marketing, umfolheto para vender ações do seu negócio. Se o próprionegócio não for bom, uma ótima apresentação não fará nada. Ao mesmo tempo, se o negócio for bom, falhar em apresentá-lo bem pode dificultar sua capacidade de levantar fundos. É crucial priorizar a construção e o desenvolvimento do negócioem vez de se concentrar apenas na criação de slidesimpressionantes.

4. Alguns fundadores tendem a enviar apresentações longas com 20-30-40 slides aos investidores na tentativa de fornecer feedback e responder a todas as perguntas potenciais. No entanto, estatísticas do DocSend mostram que os investidorescostumam gastar menos de 4 minutos lendo umaapresentação. É impossível analisar 40 slides bem em tãopouco tempo. O objetivo principal de um pitch deve ser garantir uma reunião pessoal e apoiar a conversa durante essareunião. Eu aconselho criar uma apresentação mais curta, com10-15-20 slides, usando modelos comuns.

5. Alguns fundadores combinam um pitch e uma proposta de vendas com um grande número de slides de produtos em umúnico documento. É melhor criar dois documentos separados, pois eles têm objetivos diferentes e visam públicos diferentes.

6. Muitos fundadores frequentemente se concentram demaisno produto e nas características técnicas de sua solução. Mas os investidores estão mais interessados em entender o negóciocompletamente e os retornos que podem esperar ao investir naempresa. Mantenha uma apresentação equilibrada que aborde tanto os aspectos do produto quanto os aspectos do negócio.

7. Alguns fundadores tendem a reinventar a roda ao criar apresentações para investidores. Na realidade, existem slidespadrão que os investidores procuram em uma apresentaçãopara encontrar informações essenciais sobre o negócio. Utilizemodelos já estabelecidos de apresentações para investidores, como Sequoia ou Airbnb, para garantir que os slidesnecessários sejam incluídos. Uma boa apresentaçãonormalmente consiste em 10-15-20 slides.

8. Existem dois tipos de apresentações para investidores: aquelas usadas em eventos públicos de fala e aquelas enviadas a VCs por e-mail. Para eventos públicos de fala, foque em slides visuais com texto mínimo, já que você fará umaexplicação pessoal sobre a empresa durante a apresentação. Então, ao enviar uma apresentação por e-mail, inclua maistexto nos slides para transmitir efetivamente a mensagem aoleitor.

9. Alguns fundadores acreditam que podem criar umaapresentação para investidores uma vez e esquecer dela. Narealidade, após cada conversa com um investidor, reúna feedbacks e faça edições necessárias para melhorar os slides e explicar melhor a startup. Além disso, dependendo do histórico específico do investidor e da estratégia de investimento, pode ser necessário personalizar a apresentaçãopara destacar pontos relevantes. Isso é considerado um nívelavançado de apresentação.

10. Muitos fundadores utilizam termos específicos da indústria, abreviaturas e jargões técnicos em seus slides. Alguns até argumentam que não querem um investidor em suatabela de capitalização que não possa entender esses termos. Embora você possa estar familiarizado com esses termos devido ao envolvimento constante no setor, lembre-se de que o investidor pode estar ouvindo-os pela primeira vez. Procure usar uma linguagem simples e facilmente compreensível naapresentação para investidores que possa ser compreendidapor qualquer pessoa.

11. Muitas vezes, os fundadores deixam de abordar a pergunta: "Por que agora é o momento certo para o seunegócio?" O que mudou no mercado ou na tecnologia desde que eles consideraram iniciar a empresa dois anos atrás? Essaé uma pergunta crucial a ser considerada, pois ajuda a entender melhor os fatores impulsionadores por trás do crescimento e avaliar a viabilidade das projeções financeiras.

12. Alguns fundadores estimam o tamanho do mercado a partir de uma perspectiva de cima para baixo ou dependem de números inflacionados de relatórios públicos. Eles muitasvezes chegam a um valor de Mercado Totalmente Acessível(TAM) na casa das centenas de bilhões ou até mesmo trilhõesde dólares. No entanto, essa abordagem não ajuda os investidores a avaliar quão reais são as previsões de receita de uma startup, pois tende a superestimar o tamanho do mercado. Calcular o mercado a partir de uma abordagem de baixo para cima é melhor, o que pode resultar em um número menor, masé uma avaliação mais profissional e precisa. Tenha em mente que sua startup precisa ter um mercado de 1 bilhão de dólares.

13. Alguns fundadores têm uma visão irrealista de seu cenáriocompetitivo. Se o seu documento de apresentação alega que seu produto não tem alternativas e é o único do seu tipo no mundo, ou eles não têm conhecimento dos concorrentes, parece que os escondem deliberadamente. Em média, cada startup tem cerca de 10 concorrentes, mesmo que eles nãosejam concorrentes diretos, mas soluções alternativas que atendem ao mesmo propósito. Existem diversas maneiras de criar uma análise de concorrentes em uma apresentação, mas aconselho usar uma tabela comparativa que mostre de 3 a 5 aspectos-chave de negócios e técnicos dos principaisconcorrentes e alternativas de mercado.

14. Alguns fundadores não incluem um slide que descreva a quantidade de investimento que planejam arrecadar e como pretendem gastar a próxima rodada. Outros cometem o erro de adicionar sua avaliação ao slide. Lembre-se, arrecadar fundos é uma venda B2B e é melhor discutir os termos durante a reunião.

15. Ocasionalmente, os fundadores utilizam arquivosexcessivamente grandes (mais de 10 MB), então precisamusar serviços de compartilhamento de arquivos. Eu aconselhoa enviar as apresentações em formato PDF ou fornecer links para serviços como Docsend ou Brieflink (um serviço gratuito da NFX). Essas plataformas também oferecem a vantagem de rastrear estatísticas sobre como os investidores interagem comsua apresentação.

16. Por último, é importante ter slides visualmente atrativos, mas não é necessário exagerar no design. Evite gastar muitotempo com isso.

Espero que este artigo ajude você a se preparar para arrecadar fundos. Boa sorte com o seu negócio!




528 views0 comments

Comments


Пост: Blog2_Post
bottom of page